5 Passos Básicos Para Viver de Renda

Viver de renda é um dos sonhos mais comuns entre os investidores. Frequentemente em conversas informais pessoas me perguntam:

Quanto dinheiro eu preciso ter para não precisar mais trabalhar?

E após responder esta pergunta pela centésima vez, resolvi escrever este artigo explicando o que você precisa fazer para poder viver de renda.

A verdade é que se você for disciplinado e tiver paciência, poderá sim em algum momento de sua vida se dar ao luxo de não precisar mais trabalhar por dinheiro. Mas se este realmente é seu objetivo, precisa começar por algum lugar e este artigo ensina exatamente isso.

Para facilitar, dividi tudo em 5 passos. Se você segui-los corretamente durante alguns anos de sua vida, conseguirá chegar ao paraíso na Terra dos investidores.

Vamos lá:

como viver de renda

1# Saiba quanto você precisa para viver de renda

O primeiro passo não poderia ser outro além de refletir sobre o estilo de vida que você quer ter.

É claro que no mundo dos sonhos você pode imaginar ter uma vida de milionário, mas na vida real você pode ser mais humilde.

Para isso pense no seu padrão de vida atual e faça uma lista com suas:

A) DESPESAS BÁSICAS

Primeiro liste quais são suas despesas básicas; aquelas que você não tem outra opção a não ser arcar com elas.

Pagar o plano de saúde, luz, água, alimentação, seguro; manutenção do carro, aluguel, escola dos filhos; qualquer despesa que você julga extremamente importante.

É claro que ao longo do tempo este valor pode variar, mas, como bons investidores, não temos outra opção a não ser trabalhar com as informações que temos hoje.

B) DESPESAS DESEJÁVEIS

Aqui entram as despesas que apesar de não serem tão necessárias, você gostaria de poder ter.

Fazer uma viagem internacional por ano, trocar de carro, jantar fora algumas vezes por mês, etc. Estes são os gastos que vão além de suas necessidades básicas, mas que garantem que você terá dinheiro para poder fazer coisas que gostaria.

viver-de-renda

2# Some todas as suas despesas

Após pensar bem em tudo o que julga necessário e definir exatamente qual é o valor mensal de cada despesa, você vai encontrar dois valores:

  • Padrão de Vida Básico = total em despesas básicas (A)
  • Padrão de Vida Desejável =total em despesas básicas (A) + total em despesas desejáveis (B)

Estes valores por si só já vão dizer muitas coisas sobre sua vida financeira. Com eles você pode se perguntar coisas como:

-> Minha renda mensal é maior que o meu padrão de vida básico?

É muito importante que a resposta aqui seja SIM.

Se a resposta for NÃO, você ainda está muito longe de poder pensar em viver de renda. Neste caso você tem problemas muito mais urgentes para se preocupar, é preciso que você reveja seu padrão de vida ou aumente sua renda mensal.

-> Minha renda mensal é maior que meu padrão de vida desejável?

É muito importante que a resposta aqui seja SIM.

Caso contrário, é um sinal de que você ainda não tem uma renda excedente para começar a economizar e investir dinheiro.

Siga para o próximo passo somente se você conseguiu responder “SIM” as duas questões anteriores.

3# Encontre sua renda excedente

viver de renda

Agora que você descobriu que sua renda mensal é maior do que o total necessário para manter o padrão de vida que julga desejável, é importante descobrir quanto é sua renda excedente. Ou seja, quanto de dinheiro você pode investir todos os meses.

Este valor vai afetar diretamente a quantidade de tempo que você vai demorar para atingir o nível de viver de renda e pelo menos sustentar seu estilo de vida desejável.

Um exemplo prático:

Se sua renda mensal é de R$ 6.000 e seu estilo de vida desejável requer um gasto mensal de R$ 4.000, sua renda excedente é de R$ 2.000 (6000- 4000).

Este é o valor que todos os meses você poderá somar ao seu patrimônio e em algum dia atingir um capital grande o suficiente para render um valor igual ao seu padrão de vida desejável.

4# Descubra a quanto deve chegar seu patrimônio

Neste passo você precisa estimar o valor total de quanto dinheiro precisa ter em seu patrimônio para gerar a renda desejada.

Uma variável bem importante aqui é a rentabilidade mensal que você vai conseguir em seus investimentos. Como não é possível prever o futuro (ainda mais no Brasil), a melhor solução é utilizar dados históricos recentes a atuais.

Uma opção é pegar a rentabilidade mensal de seu próprio patrimônio durante os últimos dois anos, ou utilizar as taxas de juros praticadas atualmente nos títulos de longo prazo (como a NTNB Principal 2035, por exemplo).

Para efeitos práticos, vamos adotar uma estimativa razoável de 1% ao mês.

Exemplo Prático:

Se seu estilo de vida desejável custa R$ 6.000 por mês, seu patrimônio deve ser de:

R$ 6.000 / 1% = R$ 600.000

5# Quanto tempo falta para você viver de renda?

Agora que você já sabe o total que o seu patrimônio precisa ter para gerar uma renda pelo menos igual ao seu custo de “estilo de vida desejável”, resta descobrir há quanto tempo você está de chegar nesta situação.

Para isso não tem muito mistério.

Algumas pessoas pode se enganar e achar que basta subtrair o valor que você já tem do valor que você quer ter e dividir por sua renda excedente mensal. Supostamente, neste caso você encontraria quantos meses precisa economizar dinheiro para finalmente poder viver de renda.

Só que esta é a maneira errada de fazer esta conta!

Felizmente, existe algo chamado Juros Compostos (veja este artigo). Ele vai diminuir consideravelmente o tempo entre você e o seu patrimônio dos sonhos.

curso-robo-BANNER

Valor Futuro – Calculando do Modo Correto

Imagine que se você economizar R$ 2.000 hoje, daqui a uma ano este valor será de R$ 2.240, daqui a dois anos será R$ 2.509 e assim por diante. Porque os juros recebidos sobre o seu investimento (supostamente) serão reinvestidos à mesma taxa de juros.

Com isso, supondo uma economia mensal de R$ 2.000, uma rentabilidade de 1% ao mês e um objetivo de R$ 600.000, o tempo necessário seria de 11,5 anos.

Pode parecer muito, mas, como disse no início do artigo, é preciso ter paciência e disciplina para poder viver de renda.

Quando incluímos juros compostos, as contas ficam um pouco mais complicadas. Você pode utilizar calculadoras financeiras online para fazer seus próprios cálculos, como esta aqui.

o-que-fazer-para-viver-de-renda

Conclusão

Nos cálculos mostrados aqui simplificamos as coisas um pouco para deixar tudo mais fácil de ser entendido.

Mas a verdade é que muitas vezes, na prática, pode ser ainda mais fácil atingir o patrimônio desejado. Isso se considerarmos que sua renda tende a aumentar ao longo do tempo; através de promoções, você se tornar um profissional mais valorizado, etc.

Ainda, a grande maioria das pessoas é economicamente ativa por muito mais tempo, podendo atingir patrimônios muito maiores ao longo de sua vida.

No entanto, não importa quantas contas você faça, só existem dois atalhos:

  • Aumentar sua renda mensal, e
  • Reduzir suas despesas mensais

Diego Wawrzeniak (@diegowrz) é autor do Guia do Imposto de Renda na Bolsa. Trabalhou no mercado financeiro e é economista pela FGV. Além de finanças, também é apaixonado por empreendedorismo, inovação e conversar com outros investidores.