Nova máxima do ano e muita volatilidade – Análise Semanal

O Índice Bovespa mostrou uma semana de fortes emoções, marcando uma nova máxima do ano e andando sobre a mme200 perto dos 50.500 pontos por três pregões seguidos e conseguiu não romper para baixo.

Com isso, segue tudo basicamente como já estava, com um viés positivo e primeiro objetivo de alta agora em 53.300 pontos e cujo rompimento nos faria pensar em números como 56.700 pontos ainda no curto prazo.

No campo inferior, como o último fundo está apenas na mínima do ano e é impraticável para ser usado como stop, vale uma atenção nesses 50.500 pontos, já que seu rompimento traria um certo nervosismo, com realizações inicialmente até os 49.000 pontos.

O Índice Dow Jones segue muito confuso, brigando com os 16.040 pontos já que abaixo dele azeda um pouquinho mais dentro de sua congestão maior em busca da mme200 perto dos 15.700 pontos. Nas últimas semanas houve um descasamento mais claro entre o nosso mercado e os EUA, acontecendo com algumas frequência o que tivemos hoje, por exemplo, com uma boa alta por aqui e uma queda considerável lá fora. O contrário também se mostra verdadeiro em alguns momentos. Lembro ainda que o Adx está muito baixo e totalmente sem tendência, deixando a indefinição ainda mais forte.

Semana passada falamos de alguns papéis que andaram bem, como a compra já encerrada de PCAR4 e a venda de GGBR4 que, mesmo na contramão do resto do mercado, também voltou a atingir o suporte e a encerrar a mesma. Como novidades, vou ficar basicamente com compras de papéis como ALLL3, CVCB3 (de novo), SLED4 e ainda os sinais de fundo em ELET6 e a improvável CYRE3.

Chamo a CYRE3 de improvável porque mesmo com toda a melhora do mercado nas últimas quatro semanas, ela está devendo um primeiro pivot de alta até agora e às vezes não parece com muita vontade de fazê-lo. Ela até se segura bem acima do suporte recém feito em R$ 13,05, mas o cenário bonito para compra só vem depois dos R$ 14,02, onde o papel ganha espaço para andar como um foguete até a mme200 perto dos R$ 14,90.

A CVCB3 é um papel novo na bolsa e fizemos há poucos dias uma operação nela que foi zerada na antiga máxima histórica, mas agora o rompimento dos R$ 16,19 serviu para dar mais uma compra mirando nos R$ 17,00 e com bela ajuda dos principais indicadores como o Adx e o OBV. O stop é razoavelmente curto, em R$ 15,50 e o papel também mostra uma boa cara no semanal, apesar de ser bem recente.

Outro papel que tem mostrado uma volatilidade bizarra desde o começo do ano é a ALLL3, que finalmente vai engatando uma quarta marcha e acelerando com força, ainda mais agora depois de romper a mme200 e o topo anterior em R$ 8,04. O primeiro objetivo para cima é até curto, em R$ 8,60, mas em caso de rompimento já começaria a olhar para os R$ 9,14. O stop ficaria em R$ 7,42 e os indicadores ajudam bastante, como um Adx apontando com força para cima e o OBV nas máximas recentes.

Nem todo mundo se sente confortável em operar papéis de liquidez reduzida, mas para quem não se importa, a SLED4 está gritando aos quatro ventos que vem melhorando bastante recentemente. Ela conseguiu ontem romper os R$ 16,73 e passou a ter tendência de alta depois de muito tempo, inicialmente em busca dos R$ 18,60, com leve melhora no seu OBV e agora só falta o Adx apontar para cima para ficar tudo bonitinho de verdade. O stop também não é ruim, no último fundo em R$ 15,83, portanto, você apenas precisa decidir se fica ou não confortável em operar essas small caps.

Todos vimos que boa parte dessa melhora recente das últimas semanas na bolsa foi levada nas costas por algumas empresas estatais, e a ELET6 agora pode dar uma compra mais comportada do que as loucuras que ela mostrou recentemente. Depois de realizar e deixar um sinal de fundo ontem, já tem um suporte curtinho em R$ 10,88 que pode ser usado como stop, e acima dos R$ 11,28 a compra é justificada em busca da máxima do ano, mas num primeiro momento pode mirar os R$ 11,59. O Adx vem de fortes quedas, precisando apenas apontar para cima para deixar tudo no esquema para uma forte puxada.

Bom final de semana a todos e lembro que vem um mega feriadão por aí nas próximas semanas. 

 

Este relatório foi preparado pela equipe de análise de investimentos da Ágora Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. (“Ágora”), que é uma sociedade controlada pelo Banco Bradesco BBI S.A. (“BBI”), mesmo controlador da Bradesco S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários (“Bradesco Corretora”). O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Ágora.
Este relatório é distribuído somente com o objetivo de prover informações e não representa uma oferta de compra e venda ou solicitação de compra e venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data de sua publicação. Entretanto, as informações aqui contidas não representam por parte da Ágora ou da Bradesco Corretora garantia de exatidão dos dados factuais utilizados. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 17 da Instrução CVM 483:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Ágora, à Bradesco Corretora, ao BBI e demais empresas do Grupo Bradesco.
A remuneração do(s) analista(s) de investimento está, direta ou indiretamente, influenciada pelo resultado proveniente dos negócios e operações financeiras realizadas pela Ágora, Bradesco Corretora e BBI.
O analista de investimentos Daniel Marques declara que possui vínculo com pessoa natural que trabalha para o emissor objeto do relatório de análise: PETROBRÁS.
Declarações nos termos do art. 18 da Instrução CVM 483:
O Bradesco tem participação direta acima de 5% na empresa Cielo S.A.. A Bradseg Participações Ltda., empresa do Grupo Bradesco, tem participação indireta acima de 5% no Fleury S.A. A BRADESPAR S.A., cujo grupo controlador é composto pelos mesmos acionistas que controlam o Bradesco, tem participação indireta acima de 5% na VALE S.A..
Ágora, Bradesco Corretora, Bradesco BBI e demais empresas do grupo Bradesco têm interesses financeiros e comerciais relevantes em relação ao emissor ou aos valores mobiliários objeto de análise.
O Bradesco BBI está participando como coordenador na oferta de distribuição pública de ações de Oi S.A e Companhia de Saneamento do Paraná – SANEPAR.
Nos últimos 12 meses, o Bradesco BBI participou como coordenador nas ofertas públicas de distribuição de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Banco BTG Pactual, Banco do Brasil, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, BNDESPAR, BR Malls, Bradespar, Brasil Telecom, CEDAE, Chemical VII, Chemical VIII, Colinas, Comgás, CPFL Energias Renováveis, Daycoval, Ecovias, Embratel, Estácio, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, Fleury, Iguatemi, JBS, Marfrig, MPX, Multiplan, OAS, OI, Petropar, Raízen Energia, Restoque (Le Lis Blanc), Rodobens, Sabesp, Smiles, Vale e Via Varejo. Também atuou como assessor financeiro de Alpargatas na operação com a Osklen.
Nos últimos 12 meses, a Ágora e/ou a Bradesco Corretora participaram, como instituições intermediárias, das ofertas públicas de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Alupar, Autoban, Brazilian Securities, BNDESPAR, Banco BTG Pactual, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, Comgás, CPFL Energias Renováveis, CVC, Estácio, Fator IFIX – FII, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, FII – General Shopping Ativo e Renda, Fator Verità FII, Fibria, FII Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos, FII TB Office, FII TRX, Iguatemi, Iochpe Maxion, GAEC Educação, Linx, Marfrig, Multiplan, Rodovias do Tietê, Santander Agências FII, Senior Solution, SDI Logística Rio – FII, Ser Educacional, Smiles, SP Downtown – FII, Triângulo do Sol, Tupy, Vale, Via Varejo e XP Corporate Macaé – FII.
A Bradesco Corretora recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de ações da Alpargatas (ALPA4), General Shopping (GSHP3) e Odontoprev (ODPV3). O Bradesco recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de debêntures da USIMINAS e BNDESPAR, e cotas do Fundo Imobiliário BB Progressivo II.

Diego Wawrzeniak (@diegowrz) é autor do Guia do Imposto de Renda na Bolsa.
Trabalhou no mercado financeiro e é economista pela FGV. Além de finanças, também é apaixonado por empreendedorismo, inovação e conversar com outros investidores.