Educação Financeira Pode ser a Saída para sua Independência

Entenda como o conhecimento sobre o mundo das finanças pode representar mais dinheiro no seu bolso em menos tempo.

A diferença entre realizar um sonho e mantê-lo apenas como uma anotação no seu diário passa pelo conhecimento. Quanto mais informações sobre o mundo financeiro você tiver, maiores são as chances de que você seja bem-sucedido em seus investimentos.

Sim, falamos aqui de investimentos. Uma palavra tão simples, mas que ainda assusta muita gente.

A dificuldade em lidar com números e com os termos mais complexos do mercado financeiro não deveria ser um empecilho para ninguém. O fato é que mesmo que você não seja alguém cheio da grana, é possível organizar as suas finanças e fazer com que o dinheiro trabalhe para você cada vez mais rápido.

A possível aprovação da Reforma da Previdência promete tornar ainda mais difícil a aposentadoria dos brasileiros pelas vias tradicionais. Assim, o quanto antes você começar a se preocupar com esse assunto, antes também você terá resultados bons o suficiente para declarar a sua independência financeira e viver apenas de renda.

Buscar conhecimento é fundamental

Não é porque o mundo das finanças é algo complicado que você precisa ter medo. Investir um pouco é melhor do que não investir nada, e isso é um incentivo para você começar.

A porta de entrada de muitos investidores é a poupança, uma das modalidades mais difundidas no país. Porém, o que muitos não sabem é que essa é apenas uma das formas de guardar o seu dinheiro – e nem de longe é a melhor opção. Existem outras modalidades, como os Títulos do Tesouro, os fundos de renda fixa e as LCAs. Eles resultam em uma rentabilidade maior e com um nível alto de garantia do seu crédito.

Em outras palavras, o que queremos mostrar aqui é que você não está errado em investir na poupança, mas que você pode ganhar mais investindo em outros lugares.

Vamos a um exemplo para você compreender como a educação financeira é capaz de fazer a diferença:

Suponha que você tem R$ 10 mil e aplicou esse dinheiro na poupança. Com um rendimento médio de 0,5% ao mês, ao final de 30 dias você terá R$ 10.050. Ao final de seis meses, o valor acumulado será de R$ 10.303. Portanto, um ganho de R$ 303 em 180 dias.

Agora vamos supor que você opte por colocar os mesmos R$ 10 mil em investimentos como títulos do Tesouro, fundos de renda fixa ou LCAs. Nesse caso, os rendimentos podem chegar a até 0,8% ao mês. Ao final de 30 dias, portanto, você terá R$ 10.080 e, ao final de seis meses, R$ 10.489. Ou seja, R$ 186 a mais, sem precisar fazer absolutamente nada.

Pequenas quantias que fazem uma grande diferença

No nosso exemplo, R$ 10 mil em seis meses geraram uma diferença de R$ 186, se bem aplicado. Se estivéssemos falando de R$ 100 mil, a diferença seria de R$ 1.860 e, no caso de R$ 1 milhão, R$ 18.600 a mais no seu bolso.

Isso significa que sem a educação financeira você pode obter lucro, mas é o conhecimento que vai fazer com que você ganhe ainda mais.

Por isso, há dois caminhos importantes que devem ser observados: estudar para conhecer mais e procurar o auxílio de empresas e profissionais que possam tirar suas dúvidas e mostrar o caminho das pedras.

No final das contas, você vai perceber que deixar de ganhar é também uma forma de perder. E é justamente isso que não queremos que aconteça com você.

A sua independência financeira mais perto

A partir do momento que você percebe que o seu dinheiro pode trabalhar por você com maior intensidade, um novo mundo se abre em sua frente. Afinal, quando você vê as novas possibilidades na sua frente a coisa muda de figura.

E é nesse momento que você vai perceber que estará no caminho certo para a sua independência financeira.

A ideia é que em longo prazo você consiga acumular capital suficiente para que os rendimentos possam ser capazes de suprir o seu salário. Assim, ao invés de trabalhar para obter o salário no final do mês quem trabalharia seria o seu dinheiro.

Trata-se de um plano perfeito para quem já está com mais de 40 anos e vê no horizonte a chance de se aposentar mais cedo.

Outra alternativa é o investimento em previdência privada. Diferente da previdência pública, nos fundos privados você pode simular exatamente quanto receberá e a partir de quando; sem receio algum de que as regras mudem no meio do caminho.

Essa alternativa é vista hoje pelos especialistas como um dos melhores caminhos a serem seguidos.

Educação financeira: como começar

Você não precisa ser graduado em Economia ou Contabilidade para que a educação financeira faça diferença na sua vida. Basta despertar o interesse pelo tema e buscar boas leituras.

Começar pelos principais sites que falam sobre economia no país em um bom começo. Tente ler artigo e entender as razões pela qual um determinado especialista indica alguma coisa.

Seja em uma livraria ou em uma biblioteca pública, há muitos bons livros também que prometem ensinar finanças em detalhes. Mesmo para aqueles que nunca tiveram nenhum tipo de contato com o tema. Prefira os livros mais simples para começar e, à medida que for avançando, busque leituras mais específicas.

Lembre-se que você não vai se tornar um especialista da noite para o dia. Porém, é importante que você possa compreender como funcionam os mecanismos de cada tipo de aplicação.

Acompanhe índices e faça as suas simulações, mesmo sem aplicação. Assim, você entenderá melhor esse universo e verá quantos benefícios esse tipo de conhecimento pode te trazer.