7 Dicas Que o Barão de Mauá Pode Ensinar Sobre Dinheiro

Irineu Evangelista de Souza, mais conhecido como Barão de Mauá (1813-1889) é sem dúvida alguma, o maior banqueiro e empresário de todos os tempos do Brasil.

Na época, chegou a comandar 17 empresas instaladas em seis países e tinha como sócios, milionários ingleses, nobres franceses, especuladores norte-americanos, comerciantes do Pará e fazendeiros do Rio Grande do Sul.

barao de maua

Por que o Barão de Mauá?

 

O barão geria nada menos que:

  • bancos no Brasil, Uruguai, Argentina, Estados Unidos, Inglaterra e França;
  • estaleiros no Brasil e no Uruguai;
  • três estradas de ferro no interior do Brasil;
  • a maior fábrica do país,
  • uma fundição que ocupava setecentos operários;
  • uma grande companhia de navegação;
  • empresas de comércio no exterior;
  • mineradoras,
  • usinas de gás;
  • fazendas de criação de gado e
  • diversas fábricas.

Para se ter uma noção do tamanho de seu império, o valor total dos seus ativos chegou em 1867, aos 115 mil contos de réis. Só havia um número no Brasil comparado a este: o orçamento do Império com 97 mil contos de réis naquele mesmo ano!

Sua fortuna equivalia a 12 milhões de libras esterlinas ou 60 milhões de dólares. O montante poderia ser comparado aos 43 milhões de libras de ativos, em 1865, da mais sólida instituição financeira do planeta, o Banco da Inglaterra, ou a maior herança norte – americana do século passado, os 100 milhões de dólares deixados por Cornelius Vanderbilt, o magnata das estradas de ferro.

Estima-se que a sua fortuna seria equivalente a 80 bilhões de dólares, nos dias de hoje.

Num mundo onde os grandes empresários privados costumavam ter uma única empresa, Mauá apostou na diversificação de seus investimentos. No país onde a agricultura parecia destino manifesto, ele montava uma indústria atrás da outra. Enquanto os brasileiros lamentavam a falta de escravos, Mauá implementava administrações participativas e distribuição de lucros para empregados.

Mauá, fundou o Banco do Brasil e posteriormente o Banco Mauá, Mac Gregor & Cia, com o propósito de financiar a formação de grandes empresas e desenvolver o país. Era um dos poucos banqueiros do mundo a conseguir lançar empresas em Londres apenas com seu nome.

Em 1860, tinha acabado de obter o mais invejado reconhecimento da época, o do barão Lionel de Rothschild. Este foi o primeiro a assinar o prospecto de lançamento da The San Paulo (Brazilian) Railway – nome inglês da Santos – Jundiaí , além de subscrever pessoalmente mil ações da empresa, reconhecendo Mauá como um dos deuses legítimos no Olimpo econômico do século XIX.

Sua biografia, Mauá, Empresário do Império, de Jorge Caldeira, é leitura obrigatória para aqueles que buscam coragem, determinação e muita força de vontade de vencer na vida. Arriscar todo o patrimônio pessoal para salvar o Brasil de uma guerra contra o seu vizinho, é uma missão apenas para grandes homens, patriotas, corajosos, e dignos de muita mas muita inspiração.

Por isso, apresento a seguir as principais lições de vida deixadas por Mauá , que com toda a certeza absoluta impactarão positivamente na sua vida financeira a partir de agora:

1. Em hipótese alguma dê ouvido a outras pessoas e siga sempre a sua intuição.
2. Assuma riscos, seja ousado e não tenha medo de errar. Pensar no fracasso é para aqueles que já estão vivenciando essa situação.
3. Seu sucesso profissional depende proporcionalmente ao quanto você se valoriza. Pare de se impor limites e confie em sua capacidade de execução.
4.   A riqueza é uma benção divina e a lei natural da vida, por isso AME e seja grato por todo o dinheiro que você tem. O poder da gratidão é uma das principais chaves do sucesso.  =)
5. Aqueles que se tornam os primeiros em alguma coisa, são sempre apaixonados pelo que fazem.
6. Preocupação, medo, ansiedade e insegurança são características de pessoas que querem bancar o politicamente correto e o super responsável. Acreditem, tais fatores impedem você de ir para frente, por isso RELAXE e entregue qualquer situação que esteja passando, por mais difícil que possa parecer, nas mãos de Deus. (tudo se resolve como em um passe de mágica).
7. Sinta-se bem , trabalhe por puro prazer e dê o melhor de si. Sentir-se bem é ser feliz!

Nicolas Romano é advogado formado pela PUC/SP com experiência na área tributária do escritório de advocacia Demarest & Almeida. Atualmente, está cursando MBA focado em mercado financeiro (Certificate in Financial Markets) na Saint Paul Institute of Finance. É sócio e fundador da Easytown S.A, e membro do Comitê de Gestão do Lide Futuro - Grupo de Líderes Empresariais. contato: nicolasbruno@msn.com