Melhore Seus Investimentos Com a Volatilidade de Chaikin

Nesse artigo trataremos da Volatilidade de Chaikin, um poderoso indicador de análise técnica que pode contribuir muito para melhorar seus investimentos.

Este indicadores pertence à família de indicadores criados por Marc Chaikin. Entre outros:

Em linhas gerais, a Volatilidade de Chaikin avalia a diferença entre os preços máximos e mínimos de um determinado ativo (utilizando-se de um outro indicador, o Rate of Change), e usa essa diferença como um indicador de Volatilidade.

Como interpretar?

volatilidade de chaikinO Racional por trás desta media de volatilidade é que, para um curto perído de tempo, um aumento na volatilidade pode indicar que em breve haverá um fundo (resultando, por exemplo, de um aumento temporário nas vendas).

De maneira análoga, uma diminuição na volatilidade deve indicar um topo (após um movimento de compras que já se consolidou e levou os preços a um novo patamar). Assim, a Volatilidade de Chaikin pode ser usada como um alerta de que uma reversão está próxima.

Definição e cálculo

Primeiro é necessário calcular uma média móvel exponencial da diferença entre os preços mínimos e máximos de um determinado período (o default de mercado é usar o período de dez dias):

Média [Max-Min] = Média Móvel Exponencial (Max – Min), para n períodos

Em seguida, calcula-se a variação percentual dessa média móvel exponencial em um determinado período de tempo (novamente é default utilizar o período de dez dias):

[ Média (Max – Min)Média (Max – Min) de n períodos para trás ] / [ Média (Max – Min) de n períodos para trás ] * 100

Esse segundo cálculo equivale aos cálculos feitos no Indicador Rate of Change, que é uma simples Taxa de Variação. Por isso, na utilização da Volatilidade de Chaikin é necessário definir o número de períodos do ROC.

A multiplicação por 100 faz com que o valor de output do indicador seja mais simples  para entender.

Como configurar?

Como citado anteriormente, é necessário definir dois parâmetros de data na volatilidade de Chaikin:

a) O perído da Média Móvel Exponencial da diferenteça dos Máximos e Mínimos; e

b) O período do Rate of Change.

Na plataforma de análise gráfica do Bússola você pode definir os dois parâmetros:

Volatilidade de Chaikin

Agora observe uma utilização prática do indicador. Observe abaixo o indicador no gráfico ALLL3:

Gráfico ALLL3

Como pode ser observado, dois períodos distintos (um movimento de baixa e uma posterior correção) tiveram elevações nos índices da volatilidade de Chaikin. No período em que não houve grande alteração dos preços e o mercado andou de lado, a Volatilidade de Chaikin também indicou menor movimentação.

Uma ressalva importante deve ser feita: a Volatilidade de Chaikin mede pura e simplesmente a volatilidade dos preços e pode indicar reversão. No entanto, apenas um aumento na volatilidade não significa que haverá uma reversão. Por tanto utilize este indicado sempre em conjunto com algum outro.

Conclusão

Como qualquer outro indicador de análise técnica, recomenda-se a utilização da Volatilidade de Chaikin. Também é importante usa-la em conjunto com outros indicadores que tragam informações complementares e não outros indicadores de volatilidade de preços.

Não deixe de testar a Volatilidade de Chaikin na Plataforma Gráfica do Bússola.

Bons investimentos!

Diego Wawrzeniak (@diegowrz) é autor do Guia do Imposto de Renda na Bolsa. Trabalhou no mercado financeiro e é economista pela FGV. Além de finanças, também é apaixonado por empreendedorismo, inovação e conversar com outros investidores.