Robô Investidor: Dicas Para Definir Stops

Quando o assunto é Trade, seja através de robôs ou manual, seja day trade ou swing trade uma coisa é fato e unanime entre todos os players do mercado, o STOP é imprescindível. Uma vez que isso é unanime uma outra dúvida que ronda a todos é: Qual o melhor STOP a ser usado? Para ajudar o trader vamos apresentar algumas alternativas quais as melhores opções de STOP.

Para que saibamos escolher qual o melhor stop para determinado tipo de trade é preciso relembrar um conceito inicial, porque utilizamos stop? O STOP é uma rota de fuga. Quando qualquer operação se inicia, por melhor que tenha sido a análise prévia, essa operação tem matematicamente 50% de chance de ser vencedora e 50% de chance de ser perdedora. Tendo isso em mente iremos abordar nesse artigo como se preparar para os 50% de chance de dar errado, isto é sua rota de fuga.

Se imagine agora olhando para um gráfico de qualquer ativo e imagine que acabamos de efetuar uma compra desse ativo, agora precisamos definir um ponto abaixo do preço atual que nos determine que se o preço passar por ali a tendência do mercado se alterou, ou então então nossas expectativas estavam erradas. Note que não estamos falando aqui de quanto você pode perder, pois isso se refere ao tamanho da sua posição nessa operação, ou seja, a PRIMEIRA DICA é, o lugar do seu stop ou indicador utilizado para o STOP não pode estar ligado com QUANTO (R$) você pode perder, mas sim com a probabilidade de mudança de direção do movimento.

No caso ilustrado acima você olha para o gráfico e define o ponto onde seja provável a alteração na tendência ou direção desejada, quando falamos de automatização, de trades automáticos realizados por ROBÔS INVESTIDORES, você não tem como olhar para o gráfico e definir trade a trade qual é esse ponto, é preciso definir previamente uma “regra” para que o robô siga sempre o mesmo parâmetro em todas as operações. Não pretendemos aqui polemizar sobre o assunto se o fato de ser robotizado é melhor ou pior que o “feeling” do trader, pois isso daria assunto para pelo menor mais uns 5 artigos como esse.

Uma vez que precisamos definir uma regra ou indicador que seja usada para todas as operações, nos deparamos com a seguinte indagação: Como definir algo hoje para ser usado no futuro sendo que o mercado é diferente todos os dias? Aqui então vai a SEGUNDA DICA (talvez a mais importante), se o mercado é mutável (por conta da volatilidade, volume, notícias e etc), o meu stop também precisa ser. Evite utilizar stops fixos (como quantidade de pontos fixos para o mercado de futuros ou algum percentual abaixo do preço), em termos mais técnicos, evite a linearidade. Busque alternativas que sejam definidas pela volatilidade, de forma que se o mercado estiver mais volátil seu stop estará automaticamente mais distante do preço, se o mercado se congestionar, diminuindo a volatilidade, seu stop estará mais próximo do preço.

Existem basicamente dois tipos de Stop e é preciso definir qual utilizar:

– STOP FIXO: Ele fica estático no ponto definido inicialmente e não será alterado durante toda a operação, nesse caso você precisa ter definido uma rota de saída para os 50% de chance da operação ser favorável à sua análise.

– STOP MÓVEL / TRAILING STOP: É o stop que se move durante a operação, a rota de fuga vai se alterando, seguindo o movimento do mercado. É importante ressaltar que o stop só se move na direção da operação, nunca contra ela, ou seja, se o trade é comprado o stop nunca se move para baixo.

A definição de qual o melhor tipo de stop depende do objetivo e característica da estratégia usada. Além de definir se o stop é fixo ou móvel temos ainda que decidir qual será o indicador melhor a ser utilizado como base para o cálculo do STOP. Segue abaixo algumas da melhores alternativas que traduzem todo o exposto até aqui.

INDICADORES DE STOP PARA ROBÔS INVESTIDORES

#1 – Trailing Stop loss de ATR: Como o próprio nome já diz ele é um stop móvel, ou seja, vai sempre “caminhando” atrás do preço. Mas a grande vantagem desse indicador (um dos nossos preferidos) é que ele é definido utilizando o ATR (do inglês, Average True Range), que mede a volatilidade dos preços de determinado ativo em um determinado período, ou seja, quanto maior a volatilidade do ativo no período, maior será o ATR.

#2 – Banda de Bollinger: As bandas de Bollinger são ótimas para definir uma metodologia de Stop, você pode utilizar a banda inferior para operações compradas e a banda superior para operações vendidas. Como a banda de bollinger leva em consideração o desvio padrão em seu cálculo, de certo modo ela reflete a volatilidade do ativo durante um período, de modo que se o mercado estiver mais congestionado o stop estará mais curto, quando o mercado estiver se movendo em tendência o stop seguirá mais distante do preço.

#3 – Canal de Donchian: Esse indicador é definido pela maior máxima dos últimos “x” períodos e a menor mínima dos últimos “x” períodos criando assim um canal. Da mesma forma que a banda de bollinger, utilizamos as bandas inferiores e superiores como trailing stop ou também como definição para stop fixo.

#4- Média Móvel: Você deve estar achando estranho colocarmos como dicas de stop loss a média móvel, mas nossa dica vai no sentido de utilizar como stop a média móvel calculada sobre as máximas ou mínimas de determinado período, elas são uma excelente opção como stop móvel.

Essas são apenas algumas das possibilidade, agora se você está se perguntando qual a melhor opção para minha estratégia, nossa sugestão é que teste e avalie, pois para cada estratégia um indicador funciona melhor que outro..

Além das opções de STOP definida por indicadores, podemos utilizar como rota de fuga o VBO (volatility breakout) que seria uma regra de saída alternativa ao STOP. Em resumo, se o mercado tiver um comportamento com volatilidade atípica ao esperado o trade é encerrado antes de atingir o STOP, mas isso é assunto para ser detalhado em outro artigo.

DICA FINAL, independente de qual sua escolha para STOP, a regra primordial é USE STOP!

Completamente apaixonada por arte, finanças, chá de hortelã e comunicação. Nicole Lima é formada em Publicidade e Propaganda pela PUC Minas. Trabalha com comunicação estratégica e marketing no Bússola do Investidor.