Entevista: O Que Faz Um Investidor de Verdade

Atualmente a falta de educação financeira no Brasil ainda é um problema gigantesco, porém muito pouco se discute sobre isso.

Felizmente cada vez mais existem profissionais altamente competentes e sérios que buscam ensinar e ajudar pessoas a melhorarem sua vida financeira. Aqui converso com um grande exemplo destes profissionais: o Professor Elisson Andrade, que nos últimos anos tem dedicado sua vida a ajudar brasileiros a se relacionarem de maneira mais eficiente com seu próprio dinheiro.

Além de criador e autor de um excelente Blog, também ensina o curso online “Hábitos Financeirios”, que já ajudou diversos investidores em todo o Brasil.

1. Como você começou a se interessar por finanças e como aprendeu o que sabe hoje?

prof_elissonOlá pessoal do Bússola do Investidor, primeiramente gostaria de expressar minha imensa satisfação em estar aqui falando com vocês sobre Finanças Pessoais.

Quanto ao meu interesse sobre o assunto, ele surgiu enquanto estava na faculdade. Tive a oportunidade de elaborar um projeto de iniciação científica que versava sobre bolsa de mercadorias e futuros e, desse ponto, para começar a estudar o mercado de ações, foi algo bastante natural.

Como muitos jovens, vi-me ansioso em poder aplicar o conhecimento que estava adquirindo, na prática. Mas com o passar do tempo, percebi que estava fazendo o caminho inverso do que um processo de educação financeira exige. Queria muito investir. Todavia, não tinha bons hábitos financeiros que me permitissem guardar dinheiro para tal.

E então dois fatos importantes ocorreram.

O primeiro deles, foi a leitura do famoso livro “Pai Rico, Pai Pobre”, que me abriu os olhos para questões mais profundas e fundamentais sobre finanças pessoais.

Já o segundo, foi a convivência com um amigo que possuía um conhecimento tão profundo sobre como administrar o próprio dinheiro, que me motivou a estudar mais sobre o comportamento humano.

Desse momento em diante, comecei não só a estudar investimentos, mas também a procurar me auto conhecer, para saber o que fazer com o dinheiro que estava investindo. Mais tarde, ao abraçar a carreira de professor universitário, criei alguns cursos relacionados à Educação Financeira, depois veio meu blog, e cá estou eu falando sobre o tema com os amigos e amigas do Bússola.

2. De onde veio a ideia de começar seu blog?

Eis a influência de outra pessoa, também professor da faculdade na qual leciono até hoje. Ele havia feito mestrado sobre redes sociais e mídias digitais, era dono de uma empresa que prestava serviço de criação de sites, e me motivou a criar um blog sobre Finanças Pessoais.

No início, essa atividade era apenas uma experiência, um entretenimento. Quando recebi meu primeiro comentário, achei aquilo fantástico. Pessoas as quais eu nunca tivera contato, estavam acessando meu blog. Lendo o que eu escrevia.

Aos poucos e com muita dedicação, meu público começou a aumentar e, após alguns meses, milhares de pessoas já estavam acessando meu blog, todo mês. Foi aí que resolvi dedicar mais tempo ao ensino de Finanças Pessoais pela internet, e hoje possuo livros digitais e um curso online, que têm me dado bastante satisfação.

3. Em alguns dias haverá um novo curso seu, como um investidor poderá se beneficiar fazendo este curso?

O curso Mudança de Hábitos Financeiros surgiu de uma frustração. Explico. Tanto em sala de aula, como em meu blog, estava sempre oferecendo caminhos, dando dicas, para que as pessoas gerenciassem melhor seus recursos financeiros. Notava que elas até concordavam sobre a importância dos temas tratados, porém, não conseguiam colocar seus objetivos em prática.

Era muito comum pessoas se interessarem por investimentos, mas não terem o hábito de guardar dinheiro (eu mesmo já havia passado por essa crise, como citei anteriormente). O consumismo imediato era sempre mais forte do que o anseio por independência financeira.

E o que fui percebendo é que o problema se dava muito mais no nível pessoal, psicológico, do que na questão do conhecimento em si. Foi então que me empenhei em estudar o processo de aquisição de novos hábitos e o curso surgiu. O curso trata desde o autoconhecimento até como tomar boas decisões de investimento, por exemplo.

4. Muitas pessoas acham que investir “dá muito trabalho”. Qual é a melhor resposta para estas pessoas?

Criar o hábito de investir.

Quando criamos os hábitos certos, colocamos nosso comportamento no piloto automático e isso acaba se tornando uma rotina. Quando acordamos, por exemplo, não ficamos pensando qual pé calçar o sapato primeiro, se primeiro escovamos os dentes ou tomamos banho, se tomaremos chá ou café, tudo já virou um hábito e exige pouco esforço mental para executarmos.

Criar o hábito de investir e acompanhar de perto as finanças pode trilhar o mesmo caminho, e é isso que é ensinado no curso. É como digo, pequenas coisas feitas todos os dias, tem o poder de causar grandes transformações na vida de cada um de nós.

Diego Wawrzeniak (@diegowrz) é autor do Guia do Imposto de Renda na Bolsa. Trabalhou no mercado financeiro e é economista pela FGV. Além de finanças, também é apaixonado por empreendedorismo, inovação e conversar com outros investidores.