Melhores investimentos em 2017: onde investir dinheiro no próximo ano

Em tempos de economia em desaceleração, nada mais lógico do que procurar formas de proteger e valorizar o dinheiro conquistado com tanto esforço. Muitos brasileiros estão buscando alternativas de investimentos que sejam seguros e mais rentáveis.

Se por um lado, a poupança está perdendo cada vez mais adeptos. Outras modalidades estão alcançando número de recorde de inscritos. O Tesouro Direto é um exemplo que em 2016 ganhou destaque e, pelo visto, permanecerá no centro dos holofotes dos investidores no próximo ano.

Para você que busca opções mais interessantes de investimento, veja agora algumas referências de melhores investimentos em 2017. Mas primeiro, que tal entender os fatores que podem impactar o momento de decisão para investir no ano que vem?

Motivos que podem influenciar suas decisões de investimento

O primeiro aspecto que pode afetar diretamente sua maneira de investir é a política brasileira. O ano de 2016 foi palco de fortes controvérsias na cena política do Brasil. O processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff foi um dos assuntos mais marcantes do período.

Contudo, as dificuldades que o país enfrenta não cessaram com a queda da ex-presidente petista. O governo de Michel Temer está vivenciando grande reprovação da população e precisa aprovar reformas complexas no Congresso Nacional para equilibrar as contas públicas.

Outra questão a ser considerada na hora de investir em 2017 é a atuação do Federal Reserves (FED) dos Estados Unidos. As mudanças na política monetária norte-americana foram muito esperadas em 2016, especialmente após os discursos da presidente do órgão, Janet Yellen.

Recentemente, o Fed decidiu enfim elevar as taxas de juros para o patamar entre 0,50% e 0,75%. Além disso, houve sinalização de que esse avanço deve ocorrer de forma mais acelerada no próximo ano, sendo que há grandes perspectivas de realizar mais ajustes até 2019.

O avanço dos juros norte-americanos pode influenciar os investimentos no Brasil, uma vez que há possibilidade de ocorrer uma transferência de recursos em países emergentes para economias mais seguras.

Melhores investimentos em 2017 na renda variável

Se a Bolsa de Valores foi o investimento mais rentável de 2016, tudo indica que 2017 continuará oferecendo um panorama propício para manter esta realidade. O cenário econômico do próximo ano deve agregar características que beneficiam muito os investimentos em renda variável.

Nesse sentido, há expectativas de que o setor bancário continue sendo um dos mais atrativos da Bolsa de Valores. Mesmo com a queda da taxa básica de juros, o aumento do consumo e do crédito pode ser benéfico para grandes instituições financeiras, como Itaú Unibanco (ITUB4), Bradesco (BBDC4) e Banco do Brasil (BBAS3).

Por falar em consumo, os setores vinculados a ele podem apresentar valorização em 2017 se houver retomada do crescimento econômico. O retorno do crédito para o consumidor deve beneficiar ativos das Lojas Renner (LREN3), das Lojas Americanas (LAME4) e Ambev (ABEV3), por exemplo.

Petrobras (PETR4) e Eletrobras (ELET6) também merecem atenção nos próximos meses, já que atualmente estão voltadas para a formação de caixa.

Melhores investimentos em 2017 na renda fixa

A queda dos juros e a perspectiva de baixa na inflação podem influenciar diretamente os investimentos em renda fixa. Por isso mesmo, em 2017 os investidores devem levar esses indicadores em consideração antes de escolher uma modalidade para investir.

Entre as boas possibilidades para o ano que vem, estão os títulos do Tesouro Direto Prefixado e os Certificados de Depósito Bancário (CDB).

Tesouro Direto Prefixado

Nos últimos meses, títulos públicos prefixados do programa do Tesouro Nacional se destacaram entre os investimentos de renda fixa. Milhares de investidores aplicaram nos papéis devido ao seu alto potencial de ganho. No primeiro semestre de 2016, eles trouxeram rentabilidade nominal de 9,38%, ficando em segundo lugar entre os investimentos mais rentáveis do período.

Em 2017, se houver um reaquecimento econômico consistente e os indicadores da economia chegarem a um patamar normalizado, os juros mais baixos podem diminuir a atratividade dos títulos pós-fixados. Com isso, os prefixados podem conquistar ainda mais a preferência dos investidores.

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Com uma perspectiva positiva para as atividades bancárias em 2017, a possibilidade de aumentar o fluxo de movimentação financeira nas instituições do ramo é alta. Com isso, os investimentos em CDB também podem ser uma alternativa a ser considerada. A atratividade deste tipo de aplicação vem do fato de oferecerem boa rentabilidade, segurança e prazos interessantes.

Outro ponto positivo do CDB é que ele, assim como o Tesouro Direto, pode ser usado como margem de garantia para investir na Bolsa de Valores. Com isso, o investidor tem a possibilidade de ter seu capital rendendo em dois lugares simultaneamente, sem ter que encerrar o investimento em renda fixa.

Márcio Placedino

Márcio Placedino é membro da equipe do Toro Radar desde 2010. Estudou Administração de Empresas no IBMEC. Possui certificação de Planejador Financeiro CFP®, é Consultor de Valores Mobiliários registrado na CVM e Analista CNPI-T registrado na APIMEC.

  • Victor Palamim

    “Outro ponto positivo do CDB é que ele, assim como o Tesouro Direto, pode ser usado como margem de garantia para investir na Bolsa de Valores. Com isso, o investidor tem a possibilidade de ter seu capital rendendo em dois lugares simultaneamente, sem ter que encerrar o investimento em renda fixa” – como assim, dois lugares ao mesmo tempo?

    • Cerberus Hades

      Boa pergunta sem nenhuma resposta.