Conheça os Certificados do Mercado Financeiro

Os certificados do Mercado Financeiro ganham maior força no Brasil a cada dia. Eles englobam um conteúdo abrangente e bem detalhado, focado para cada área específica que o profissional deseja atuar. Além disso, cada certificação apresenta um status, que funciona como selo de qualidade.

Se você já pensou em trabalhar em finanças, com certeza quis fazer algum desses exames. Conhece o CPA? E qual sua diferença para o CGA? Neste artigo, você confere as provas mais reconhecidas e importantes do mercado, com suas todas as suas particularidades.

Confira:

certificados do mercado financeiro

CPA – Certificado Profissional ANBIMA

A Certificação Profissional ANBIMA é a certificação mais comum no mercado financeiro. Existem dois níveis: o CPA-20 e o CPA-10 e são normalmente exigidas a funcionários de bancos que lidam com clientes, por exemplo.

CPA-20

O CPA-20 é direcionado a profissionais que trabalham com a venda e prospecção de produtos financeiros para investidores que possuem renda destinada para aplicações superior a 300 mil reais, atendidos nos segmentos Varejo Alta Renda, Private Banking, Corporate e Investidores Institucionais.

Não existe pré-requisito para se inscrever no exame, sendo aberto tanto a profissionais de instituições vinculadas a ANBIMA, quanto a estudantes.

Atualmente, a prova é composta por 60 questões de múltipla escolha, com 4 alternativas, sendo necessário 70% de acerto para a aprovação.

CPA-10

O CPA-10, por sua vez, é um exame mais recente, que visa atender os mesmos profissionais que o CPA-20, porém que negociem com investidores de renda aplicável mais baixa (menor que 300 mil).

Dessa forma, seu programa é menos amplo. A prova é composta por 50 questões, também múltipla escolha com 4 alternativas. É necessário 70% de acerto para a aprovação.

CNPI – Certificado Nacional do Profissional de Investimento

O CNPI, realizado pela APIMEC – Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais, surgiu com o objetivo de elevar o padrão dos profissionais de investimentos brasileiros a níveis internacionais. Seu público alvo são especialistas em análises e emissão de relatórios. Por exemplo, se você tem uma corretora de valores, com certeza já leu indicações de ações para comprar, análises fundamentalistas sobre empresas e até mesmo sobre o mercado. Para que essa pessoa possa escrever relatórios expondo sua opinião, pela CVM, ela tem que ter o CNPI.

A certificação se divide em três tipos: CNPI (para analistas fundamentalistas), CNPI-T (para analistas técnicos) e CNPI-P, sendo a mais completa, destinada ao analistas técnicos e fundamentalistas.

Para obter o certificado é necessária a aprovação no exame CB, Conteúdo Brasileiro, composto de 60 questões de múltipla escolha; CG1, Conteúdo Geral 1, focado em análise fundamentalista e conceitos de contabilidade; e CT1, Conteúdo Técnico 1, que abrange a análise técnica como um todo. O candidato pode se inscrever nos exames separadamente e, a partir da data de aplicação do primeiro, ele tem o prazo de um ano para completar as demais provas.

CFP – Certified Financial Planner

Voltada para planejadores financeiros, o CFP confere ao profissional o direito de atuar como um consultor, avaliando objetivos e riscos de cada cliente para montar uma estratégia de investimento adequada para cada perfil.

Emitida pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF), o certificado de CFP é concedido a pessoa que comprove seus conhecimentos através de uma prova com duração de 7 horas e 5 minutos, dividida em seis módulos: Planejamento Financeiro e Ética; Gestão de Ativos e Investimentos; Planejamento de Aposentadoria; Gestão de Riscos e Seguros; Planejamento Fiscal e Planejamento Sucessório.

Com validade de 2 anos, os candidatos aprendem sobre planejamento fiscal, sucessório, gestão de riscos de seguros, entre outros. É necessário experiẽncia profissional de no mínimo 3 anos para o exame, que ocorre duas vezes por ano: uma em julho e outra em novembro. O CFP é considerado um diferencial para gestores de patrimônios de alta renda, além de muito bem visto no mercado.

CGA – Certificado de Gestores ANBIMA

Sabe aquelas pessoas que são responsáveis por administrar carteiras bem fartas? São os chamados Gestores de Investimento. Eles são os únicos profissionais que têm a permissão para gerenciar um portfólio de investimentos, alocando seu dinheiro onde ele acredita que terá melhor rentabilidade.

Para isso, é necessário ter o certificado chamado de CGA, que acontece quatro vezes no ano. São dois módulos que exigem conhecimento técnico financeiro elevado do candidato. São 60 questões por módulo e, para aprovação, é necessário, no mínimo, 70% de acerto.

CFA – Chartered Financial Analyst

Fornecido pelo CFA Institute, localizado nos Estados Unidos, o CFA é uma certificação diferente das outras, uma vez que não é obrigatória para nenhuma profissão no mercado financeiro, mas, dado o alto nível de conhecimento exigido, é bastante prestigiada e considerada a mais difícil.

É composto de três fases, que podem durar o mesmo tempo que um curso superior, o que faz o CFA ser visto pelo mercado brasileiro como uma espécie de MBA em finanças.

certificados-do-mercado-financeiro-2

CEA – Certificação de Especialista em Investimentos Anbima

Anteriormente conhecida como CEI, a CEA é uma certificação voltada para profissionais que assessoram gerentes de contas de investidores, que também dá o direito de indicar produtos financeiros, exceto poupança e planos de previdência.

As pessoas que têm esse certificado podem exercer as mesmas atividades que profissionais que têm o CPA-10 e CPA-20. O exame em sí é composto por 70 questões de múltipla escolha, com duração de 3 horas e 30 minutos. Para a aprovação, é necessário que o candidato tenha um nível de acerto superior a 70%.

Agentes Autônomos e Empregados de Instituições Financeiras

Se você pensa em ser um Agente Autônomo de Investimentos, existem duas certificados do mercado financeiro que são imprescindíveis: o da Ancor –  Associação Nacional das Corretoras de Valores, Câmbio de Mercadorias – e do PQO –  Programa de Qualificação Operacional da BM&FBOVESPA.

Os agentes autônomos geralmente são pessoas que combinam seu interesse por empreendedorismo com finanças, trabalhando como um intermédio entre o cliente e o produto. Ele não pode realizar indicações, por exemplo, uma vez que esse papel é do analista de investimento, certificado pelo CNPI.

A prova da Ancor é a mais conhecida no mercado. É composta por 80 questões e seu programa abrange desde conhecimentos sobre as funções do AAI até os mais complexos conhecimentos sobre gestão de riscos e mercado de capitais.

Dentre os certificados do mercado financeiro, qual se adequa melhor ao seu perfil?

Existem muitas certificações para o mercado de capitais não só no Brasil, mas como também no mundo. Cada um confere ao profissional um direito diferente e é bom lembrar que existem alguns que não são obrigatórios pela CVM, por exemplo.

O importante é que, para se ter sucesso em qualquer uma das provas citadas nesse artigo, é necessário muito estudo. Cada exame tem um nível de dificuldade diferente, logo, é importante conhecer bem o programa e ter em mente que cada um tem um prazo de validade e custos diferentes. O segredo é pensar bem e conhecer bastante cada certificado antes de fazer a inscrição!

Já fez algum exame da lista? Deixe seu comentário!

 

Estudante de Economia na UFMG, faz parte do time de Marketing da SmarttBot, plataforma de automatização de investimentos na Bolsa.